São Paulo, SP arvoredo@arvoredo.com.br +55 (11) 3064-0369

Dando continuidade à série sobre Supervisão em Coaching, a minha primeira recomendação é que, ao escolher seu(sua) supervisor(a), você, colega Coach, o faça com muito cuidado e atenção.

À medida que você olhe para qualquer supervisor na busca de reflexão, visão e apoio, ele(a) deve ser adequadamente qualificado para trabalhar com você em uma conversa colaborativa, aprofundada e robusta.

Não menos relevante, você deve se sentir confortável com o supervisor, confortável o suficiente para manter diálogos em que todas as áreas de seu trabalho possam ser exploradas de forma segura, nas quais você poderá se desenvolver pessoal e profissionalmente.

Para escolher um supervisor você pode fazer algumas perguntas como:

  • Que tipo de formação em supervisão você tem?
  • Onde e quando você foi treinado?
  • Qual a duração do curso e o que foi discutido (por exemplo: quais os modelos teóricos abordados, quanto de prática esteve incluído?)
  • Por quanto tempo você tem oferecido serviços de Supervisão em Coaching desde sua formação?
  • Quantos clientes você supervisionou ao longo do tempo?
  • Quantos cliente ativos você tem agora?
  • Que tipo de clientes (Executive Coaches ou Personal Coaches) você atrai como seus supervisionados?
  • Que tipo de modelo de supervisão você adota em sua prática?
  • Qual o tipo de supervisionados você prefere?
  • Como você definiria seu estilo como supervisor?

Formas de Supervisão

One to one – um a um, coach supervisor e coach supervisionado; e o coach supervisionado precisa escolher um supervisor que seja um coach ativo já por alguns anos.

One to one – Peer Supervision – dois coaches fazem supervisão um ao outro, que se alternam nos papeis entre coach supervisor e coach supervisionado.

Supervisão em grupo com um supervisor específico – há várias formas de supervisão em grupo, por um lado do espectro o supervisor, atuando como líder, promove uma rotação de papeis entre os participantes, tendo no coach supervisor a figura de um recurso técnico.

O mercado de coaching em geral reconhece que os supervisores podem ser difíceis de encontrar. A maioria dos órgãos profissionais, como a Associação de Coaching (AC), a Internacional Coach Federation (ICF) e o Conselho Europeu de Mentoria e Coaching (EMCC), geralmente podem oferecer alguma ajuda e podem até manter uma lista de supervisores de coaching. Cada um desses órgãos tem um código de ética e prática ou diretrizes de boas práticas que promovam a supervisão de uma forma ou de outra.

Pense nisso e procure o seu desenvolvimento como Coach.

CloudCoaching
Outubro/2017

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *